Zema flexibiliza onda roxa em microrregiões: Taiobeiras e Montes Claros/Bocaiuva

Governador anunciou mudança nesta quarta-feira (7) — Foto: Gil Leonardi / Imprensa MG

As microrregiões de Montes Claros/Bocaiuva e Taiobeiras poderão avançar para a ‘onda vermelha’ do Programa Minas Consciente. A informação foi divulgada pelo governador Romeu Zema (Novo), nesta quarta-feira (7), após reunião do Comitê Extraordinário Covid-19.

Segundo o estado, a decisão deve ser publicada no Diário Oficial desta quinta (8), mas as localidades ficarão sob monitoramento da Secretaria de Estado de Saúde até a sexta (9). Se o cenário epidemiológico se mantiver, o avanço da onda roxa para a vermelha estará permitido a partir da próxima segunda-feira (12).

Municípios da micro Montes Claros/Bocaiuva: Bocaiúva, Claro dos Poções, Engenheiro Navarro, Francisco Dumont, Glaucilândia, Guaraciama, Itacambira, Joaquim Felício, Juramento, Montes Claros e Olhos D´Água.

Municípios da micro Taiobeiras: Curral de Dentro, Berizal, Ninheira, São João do Paraíso, Vargem Grande do Rio Pardo, Indaiabira, Montezuma, Santo Antônio do Retiro e Rio Pardo de Minas.

“Temos observado resultado positivo nos números das regiões que entraram na onda roxa há mais tempo, o que permite deduzir que as demais regiões, em breve, também terão queda no número de casos. Essa queda, em um segundo momento, se refletirá na diminuição no número de internações e, em um terceiro momento, levará à queda no número de óbitos”, explicou o governador em reportagem divulgada na Agência Minas.

Diferentemente das demais, a fase roxa é impositiva, ou seja, não depende da adesão das prefeituras. Além disso, estabelece regras mais rígidas para conter a Covid-19.

Na fase vermelha, os municípios que aderiram ao Minas Consciente podem flexibilizar a abertura de atividades não essenciais, desde obedeçam as medidas de segurança estipuladas pelo estado. Os municípios que não fazem parte do programa podem estabelecer suas regras, desde que as determinações do estado não sejam desrespeitadas.

Mudanças na ‘onda roxa’

Outra mudança anunciada pelo estado foi a suspensão de duas medidas que faziam parte da onda mais rígida, a restrição da circulação de pessoas e a proibição de reuniões familiares. A alteração atende a um acordo judicial feito pelo estado após o deputado estadual Bruno Engler questionar a constitucionalidade dessas duas regras.

“Essas medidas não serão mais obrigatórias, mas é essencial que todos façam a sua parte para conseguirmos reduzir a propagação do vírus Precisamos que a população mantenha todos os cuidados, use máscara e evite aglomerações para conseguirmos sair disso o mais rápido possível”, ressaltou Romeu Zema.

Apesar da suspensão das duas regras, o estado determinou que estabelecimentos, como restaurantes e bares, funcionem apenas com delivery das 20h às 5h, proibindo a entrega em balcão. Supermercados e padarias terão horário de funcionamento ampliado e poderão ficar de portas abertas até 22h.

Para a mudança de onda, o Governo de MG considera os seguintes critérios:

  1. Taxa de isolamento: Aumento do percentual de isolamento da população
  2. Notificação: Diminuição da notificação de casos suspeitos
  3. Incidência: Diminuição da confirmação de casos
  4. Pedidos de internação: Diminuição do número de pessoas aguardando internação
  5. Taxa de ocupação: Diminuição da taxa percentual de ocupação hospitalar
  6. Óbitos: Diminuição do número de óbitos por dia/semana

 

Orientações flexibilização Minas Consciente, 07/04/2021 — Foto: Imprensa MG/Divulgação

Orientações flexibilização Minas Consciente, 07/04/2021 — Foto: Imprensa MG/Divulgação

Fonte: G1

Você pode gostar...

Traduzir »