PIS/PASEP foi suspenso até 2022; veja o que será feito

Segundo o cronograma, os trabalhadores que teriam direito a este benefício este ano precisarão esperar até o primeiro semestre do ano que vem.

O Governo Federal anunciou, na última terça-feira (23), o adiamento do calendário do abono salarial do PIS/Pasep até 2022. Portanto, segundo o cronograma, os trabalhadores que teriam direito a este benefício este ano precisarão esperar até o primeiro semestre do ano que vem.

Tudo isso, devido a decisão de readequar o BEm, benefício emergencial  criado no ano passado para ajudar empresas e funcionários. A reunião que definiu esta medida, contou com a participação do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) e foi solicitada em caráter de urgência pelo presidente Jair Bolsonaro.

A urgência do presidente da república era para vetar o Ministério da Economia, que visa modificar as regras de aprovação do benefício do seguro-desemprego, com o objetivo de ampliar a reedição da medida emergencial.

A aprovação da medida do abono salarial foi unanime, após uma sugestão do próprio Governo Federal. Isto significa que, o calendário de pagamento do abono do PIS/Pasep será definido pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

Inicialmente, os técnicos da equipe de economia falaram que a edição do crédito extraordinário para custear o programa estava em fase de estudos. Através disso, a exclusão das despesas provenientes das medidas para os trabalhadores no teto de gastos seria possível.

Mesmo que o presidente Bolsonaro não tenha aceitado a nova proposta, ele informou que esta medida foi aplicada em 2020, na qual resultou o aumento da dívida pública. Porém, conversas de bastidores indicam que o presidente está de acordo com a iniciativa.

Vale lembrar que no ano passado, os gastos da União referentes à medida chegaram a R$ 33 bilhões. Todavia, este recurso tornou-se viável diante a situação de calamidade declarada no país. O resultado dessas ações promoveu suspensão das regras fiscais até o dia 31 de dezembro.

Atualmente, com a prorrogação do calendário do abono salarial para 2022, R$ 7,4 bilhões serão economizados.

Fonte: Notícias Concursos

Você pode gostar...

Traduzir »